Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Lecom | April 24, 2017

Scroll to top

Topo

O que BPM tem a ver com IoT?

O que BPM tem a ver com IoT?

| On 03, fev 2016

Todo começo de ano a gente começa a ouvir e ler muito sobre as tendências desse novo ano que se inicia, mas claro, queremos saber de todas as previsões do mercado que atuamos para poder nos preparar, traçar objetivos e metas, etc.

Recentemente escrevi um artigo sobre Transformação Digital e nele exemplifiquei vários fenômenos que contribuem para essa mudança, um deles é o Internet of Things (IoT) ou em português, Internet das Coisas, é um ambiente no qual os objetos, animais ou pessoas possuem identificadores únicos e a capacidade de transferir dados através de uma rede sem a necessidade de humano para humano ou interação homem para computador. IoT evoluiu a partir da convergência de tecnologias sem fio, sistemas micro eletromecânicos (MEMS) e da própria Internet. O conceito pode também ser referido como a Internet de Tudo. De uma forma simplista, a infraestrutura tecnológica alcançará a integração por meio da internet, evoluindo a inteligência da telefonia celular, tablets, carros, casas, eletrodomésticos, geladeiras, máquinas de lavar roupa, e por aí vai.

Exemplo: uma vaca de uma fazenda com um transponder biochip que a identifica e transfere informações sobre o animal através de uma rede.

– A consultoria IDC estima que esse mercado movimentará expressivos US$ 4,1 bilhões no Brasil em 2016.

– Mais da metade dos principais novos processos e sistemas de negócios irá incorporar algum elemento da internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) em 2020, segundo o Gartner.

Nesse cenário, a questão do gerenciamento e gestão de todas essas informações/dados é expandida para as organizações otimizarem a performance, disponibilidade e capacidade de atendimento.

As novas visões de negócios e a implementação de soluções de tecnologia serão necessárias, pois conforme vimos os dados do IDC e Gartner, o impacto de IoT na vida dos consumidores e nos modelos de negócios/startups no mundo corporativo vai ser bem expressivo.

Com o aumento da conectividade, a consequência será a transformação da experiência/interação do cliente, a orquestração inteligente de atividades e tarefas, colaboração do serviço, e a otimização contínua da eficiência, e é dessa forma que a filosofia de BPM entra no contexto, o Business Process Management une gestão de negócios e tecnologia da informação com foco na otimização dos resultados das organizações por meio da melhoria dos processos de negócio, atendendo assim, a serviços customizados com as necessidades mais exigentes, mais especificamente, dos clientes conectados.

Através do BPM inteligente (iBPM), uma empresa se torna flexível e alinha continuamente os seus objetivos do negócio com as políticas e procedimentos operacionalizados com total transparência, visibilidade e controle. Mais importante, uma empresa adaptável é ágil e pró-ativa na resposta à mudança. Afinal, a única constante é a mudança no negócio! Certo?

O BPM está evoluindo de um modelo de planejamento tradicional centrado para um esforço mais dinâmico em muitos domínios de negócios, para que uma organização possa melhor se adaptar às novas circunstâncias.

Conforme já dito, a solução de BPM é ágil e, portanto suporta plataformas de transformações digitais, permitindo a digitalização/automação dos processos que envolvem as ‘coisas’, as pessoas, e claro, os sistemas.

O BPM é de fato intrínseco a transformação digital que está acontecendo!
Quer entender mais?

 

Fontes:

http://blog.lecom.com.br/blog/
http://internetofthingsagenda.techtarget.com/
http://www.idcbrasil.com.br/
http://www.gartner.com/

escrito por Rommel Oliveira

Rommel Oliveira

Rommel Oliveira atua na área de Marketing e Negócios na Lecom. É graduado em Publicidade e Propaganda e pós-graduado em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas.

Comments

comments

Quer receber informações fresquinhas direto no seu e-mail?
Inscreva-se!

Enviar

comentários

  • samuelkitazume

    Muito bom o texto, Rommel!!

    Acho que tem se tornado cada vez mais evidente essa guinada do gerenciamento de processos com conceitos de IoT, mas a pergunta que não vejo resposta clara ainda é: “como se dará a fusão do IoT nos processos de negócio?” visto que se concentram muito em processos controlados e definidos AINDA por um serviço humano de análise. Meu palpite é de que logo esse serviço de análise terá sua demanda diminuida, sobrando apenas os que conseguirem de fato inovar na interpretação dos processos, pois o básico uma máquina saberá fazer.

    • http://blog.lecom.com.br Rommel Oliveira

      Olá Samuel, bom dia!

      Os sistemas terão os desafios da transformação digital também! É um processo de evolução tecnológica que está acontecendo na sociedade e impacta os negócios, softwares, pessoas e objetos. Os clientes conectados estão transformando suas experiências e os negócios precisam cada vez mais saber lidar melhor e de forma ágil, o que nunca foi novidade devido as mudanças que ocorrem no mundo… Em relação a fusão que você pergunta, o BPM tornou-se inteligente e dinâmico, automatiza os processos suportando essas plataformas de transformações digitais. Sabemos que os serviços envolvem a orquestração de atividades e tarefas de pessoas, coisas e sistemas e o BPM realiza a digitalização de forma inteligente. Dá uma lida nesse artigo sobre iBPM, acho que vai gostar http://blog.lecom.com.br/blog/2015/08/26/voce-sabe-o-que-e-ibpm/ Para finalizar… Lembre que tudo é um processo, eheheh… E o fato é que o BPM irá permitir o gerenciamento, o acompanhamento em tempo real e ainda manter as ‘coisas’ conectadas em suas operações de forma AUTOMÁTICA (sem humanos), identificando ainda de forma prévia, os gaps, gargalos, etc.

      Um abração!

    • Rommel

      Olá Samuel, bom dia!

      Os sistemas terão os desafios da transformação digital também! É um processo de evolução tecnológica que está acontecendo na sociedade e impacta os negócios, softwares, pessoas e objetos. Os clientes conectados estão transformando suas experiências e os negócios precisam cada vez mais saber lidar melhor e de forma ágil, o que nunca foi novidade devido as mudanças que ocorrem no mundo… Em relação a fusão que você pergunta, o BPM tornou-se inteligente e dinâmico, automatiza os processos suportando essas plataformas de transformações digitais. Sabemos que os serviços envolvem a orquestração de atividades e tarefas de pessoas, coisas e sistemas e o BPM realiza a digitalização de forma inteligente. Dá uma lida nesse artigo sobre iBPM, acho que vai gostar http://blog.lecom.com.br/blog/2015/08/26/voce-sabe-o-que-e-ibpm/ Para finalizar… Lembre que tudo é um processo, eheheh… E o fato é que o BPM irá permitir o gerenciamento, o acompanhamento em tempo real e ainda manter as ‘coisas’ conectadas em suas operações de forma AUTOMÁTICA (sem humanos), identificando ainda de forma prévia, os gaps, gargalos, etc.

      Um abração!

Quer receber informações fresquinhas direto no seu e-mail? Inscreva-se!

Enviar